domingo, 25 de novembro de 2012

JUSTIÇA PARADOXAL


 O caso Vale e Azevedo é um libelo acusatório a uma justiça caduca, podre, decrépita, ao serviço dos poderes paralelos que subjugam e asfixiam a sociedade portuguesa, na prossecução dos seus mais inconfessáveis interesses. Um libelo acusatório a um regime político e seus agentes, dominado por caciques, chicos-espertos, vendedores de fruta, gerentes de caixa e seus serventuários, cúmplices por omissão dos seus deveres de defesa da coisa pública, da igualdade e da garantia de acesso de cada cidadão à dignidade.

Vale e Azevedo, foi julgado, condenado, perseguido e preso, não pelos alegados crimes que lhe são atribuídos, mas por ter sido Presidente do Benfica e por ter enfrentado, denunciado e combatido, sózinho, a peito descoberto, com destemor e veemência, os poderes de facto do futebol e da sociedade portuguesa, que se têm servido da democracia, para subjugar a restante população aos seus interesses.

Aos algozes que o perseguem movidos pela vingança com origem no secular ressentimento que sentem pela grandiosidade do Benfica e não para fazer cumprir a Justiça, que qualquer Estado de Direito garante a todo o cidadão, digo para se lembrarem que estão a ofender esse mesmo Direito e a suscitar, a alimentar, o sentimento de revolta de muitos cidadãos pela discriminação social a que assistem uns e de que são vítimas outros, nomeadamente os Benfiquistas. Até o império romano caiu às mãos dos “bárbaros”, que, não constando que fossem Benfiquistas, incluía os “odiados” mouros.

Aos atuais e antigos Dirigentes do meu clube, digo que acabem com as alusões persecutórias a Vale e Azevedo, limitando-se a deixar à Justiça o que lhe é devido, lembrando-os de que tais alusões fomentam a divisão visceral dos adeptos, os quais, afinal, pretendemos unir para vencermos o mostrengo. Resolvam o que há a resolver no âmbito do clube; dentro de portas, podemos até andar ao tareão, fora delas, somos uma família! É assim que se unem os Benfiquistas; é preciso fazer um desenho? NÃO GOSTO QUE PERSIGAM E HUMILHEM UM PRESIDENTE DO MEU CLUBE E SEI QUE NÃO SOU SÓ EU! À VIVA!

Aos que se servem do Benfica para perseguir Vale e Azevedo, digo para o não fazerem; façam o seu trabalho nos lugares próprios, que são os Tribunais recorrendo às entidades correlacionadas, sem esquecer que há muita gente, incluindo eu, que não acredita que Vale e Azevedo tenha burlado o nosso clube, embora admita que possa ter cometido ilícitos, sabendo que, muitos deles, foram induzidos pela asfixia financeira movida pelos cúmplices que, no setor da banca, apoiam o projeto do mostrengo.

Podem dizer o que quiserem de Vale e Azevedo mas, para mim, para a generalidade dos Benfiquistas, foi um exemplo de coragem inaudita, que identificou e combateu, destemidamente, a hidra que domina e asfixia o futebol português, alimentando-se dos clubes que, um a um, vão caindo na insolvência ou nas mãos do mostrengo, perante a cobardia generalizada, num país onde, dizem, habita a Liberdade!

Foi Vale e Azevedo que pôs em pânico os promotores da nova ordem e por isso está preso!

Eis aqui a opinião de um homem livre!

AB

2 comentários:

  1. Parabéns. Excelente visão, com uma perspectiva semelhante à minha. Já escrevi textos onde falo de outras "lateralidades". Leia "Lucky, me?" em www.basta2002.blogspto.com

    ResponderEliminar
  2. Obrigado;logo que tenha oportunidade lerei o seu texto e aderirei ao blogue se tal for possível.

    ResponderEliminar