quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Eu, Benfiquista, me confesso

Realizou-se recentemente a escritura da Fundação Benfica destinada a apoiar prioritáriamente crianças carenciadas, há muito prometida pela actual Direcção da Sad do clube. É uma satisfação enorme ver materializado pelo Benfica tão nobre projecto; gostaria que nele se incluissem, também, ex-atletas do Benfica em dificuldades. Um grande abraço de parabéns a toda a Direcção, em especial ao Presidente, que, paulatinamente, vai reconstruindo com determinação e sabedoria, os alicerces sociais do clube, concretizando uma obra sem paralelo no futebol Nacional dos últimos anos. Muito bonito!
Foi ontem, também, anunciado pela Direcção do Benfica a realização em Abril de mais uma confraternização desportiva, com a realização de provas de atletismo abertas a "atletas" de todas as "perfomances" incluindo alguns valores consagrados da modalidade e figuras públicas do Benfica. Desta vez, tudo farei para estar presente, apesar dos preocupantes 10 Km do percurso. Vai ser divertido!
Concluída a 15ª jornada da liga Sagres, o inevitável FCP ascendeu, finalmente, ao 1º lugar com um ponto de diferença relativamente ao Benfica e SCP, apesar das vicissitudes de alguns dos jogos da jornada, nomeadamente, Belenenses-Benfica (0-0) e Braga-Porto (0-2).
O resultado do jogo Belenenses-Benfica traduz o que se passou no terreno; duas boas equipas, muito empenhadas e "encaixadas", com oportunidades de golo suficientes para qualquer delas ter ganho.
Os jogadores do Belenenses apresentaram-se em boa condição física, gerindo bem os espaços, pressionando em todo o campo, trocando bem a bola e procurando, ora em contra-ataque, ora em ataque sustentado a baliza contrária. Destacaram-se, como habitualmente, o José Pedro, o Silas o Sekituié e o guarda-redes.
Os atletas do Benfica responderam à letra; condição atlética, boa gestão dos espaços - meio campo mais consistente - e bom pressing. Falharam no entanto, na movimentação ofensiva; Suazo, muito só, muitas vezes travado em falta, não conseguiu concretizar, apesar de ter estado muito perto disso. Também Aimar, na sequência de belas jogadas, mais uma vez, desperdiçou duas boas oportunidades, rematando, já na área, à figura do guardião. Nuno Gomes ainda marcou de cabeça, respondendo a mais um centro soberbo do Reys, mas, mais uma vez, caiu na armadilha do fora de jogo, pois a defesa adversária tinha-se adiantado.
Considero a ataque encarnado, "coxo", visto que lhe falta um extremo-direito de raiz. Por isso, defendo que deveria ser constituido pelo Reys à esquerda, Suazo à direita e Cardozo ao centro, com Nuno Gomes nas costas. Gostava de saber que defesa resistiria a este ataque!
Durante o jogo, observando vários erros infantis dos jogadores do Benfica, dei comigo a pensar, que, antes de ser uma grande equipa, o Benfica, tem de ser, uma boa pequena equipa. Isto é; os seus jogadores têm de aprender a fazer bem as pequenas coisas tais como; não falhar passes, abrir linhas de passe sempre que necessário, fazer bem as dobras, arrancar para as recargas logo que a bola sai - valha-me Deus; o livre do Suazo teria dado golo se um/dois jogadores encarnados tivessem "arrancado" logo que a bola partiu -, recuperar posições imediatamente após perdida a posse do esférico, etc.. Corrigindo a 70% estes defeitos, daremos um salto competitivo muito importante.
O Juiz da Partida, Sr Elmano Santos, não fez um bom trabalho; permitiu o jogo violento continuado dos atletas do Belenenses com destaque para Sekituié, perdoou duas grandes penalidades ao Belenenses cometidas sobre o Suazo e expulsou, sem razão, por acumulação de amarelos, o Miguel Vitor, jogador abnegado, mas correctíssimo - depois de "amarelar" toda a equipa do Benfica, à excepção do guarda-redes -, quando, nos minutos finais, o Benfica pressionava tenazmente a equipa do Belenenses à procura do merecido golo, após as entradas de Reys, Nuno Gomes e Carlos Martins.
Confirma-se o que tinha previsto; desde há 4/5 jornadas atrás e até ao final do campeonato, o Benfica terá sempre um/dois jogadores nucleares afastados; por castigo, acumulação de amarelos, vermelho directo ou sumaríssimo. Em que outro jogo, em que outro campeonato foi uma equipa tão "amarelada"?

Quanto ao jogo Braga-Porto, tratou-se de mais uma "ópera bufa" onde o FCP marcou o 1º golo na sequência de um fora de jogo claro e lhe foram perdoadas três grandes penalidades, sendo que o 2º golo foi "oferta da casa" e o que seria o 3º golo, anulado correctamente por fora de jogo. Mais um "Bom trabalho" do Sr Paulo Costa, candidato oficioso a Dragão de Ouro!
O treinador e dirigentes do Braga, evergonhadamente, comprometidos, lá protestaram para que conste! Viu-se-lhes "o rabo".
Mais uma vez se demonstrou que o FCP é o clube da fruta!

AB

Sem comentários:

Enviar um comentário